Wiki Dragon Age Brasil
Advertisement

A magia existe para servir ao homem, e nunca governá-lo

Organização
Ordem dos Templários

Ordem dos Templários
Tipo:
Religiosa/Militar
Patentes:
Cavaleiro-Vigilante
Cavaleiro-Divino
Comandante-Cavaleiro
Cavaleiro-Capitão
Cavaleiro-Tenente
Cavaleiro-Cabo
Cavaleiro-Templário
Templário-Recruta
Raça:
Quaisquer
Localização:
Por toda Thedas
Aparições:

A Ordem dos Templários é a ordem militar da Chantria Orlesiana que caça abominações, apóstatas e maleficar e vigia os magos do Círculo dos Magos. Os Templários são oficialmente considerados uma força de defensores pela Chantria. Seus defensores afirmam que são salvadores, guerreiros sagrados, protetores dos inocentes e campeões de tudo o que é bom. Outros os veem como símbolos do controle da Chantria sobre a magia com um fervor religioso que inspira devoção absoluta ao seu mandato em vez de princípios morais. Seus papéis são proteger as comunidades dos fiéis de ameaças mágicas, proteger os magos da população,[1] e subjugar qualquer um que se recuse a se submeter à autoridade do Círculo.[2]

História[]

A maioria das pessoas não se lembra da Ordem dos Templários como era antes. Nos dias em que a Chanrtia ainda era jovem, os templários eram conhecidos como a Inquisição e vasculhavam a terra em busca de todos os perigos para a humanidade - se eles viessem na forma de magos de sangue, abominações, cultistas ou hereges. Foi um período sombrio e aterrorizante na história de Thedas, e que só terminou quando a Chantria convenceu a Inquisição a se unir sob a bandeira de sua fé comum.[3] Este acordo, o Acordo de Nevarra, foi firmado em 1:20 Divina.[4] A Inquisição foi então dividido em dois grupos: os Investigadores da Verdade e a Ordem dos Templários[5], com o propósito de a Ordem se tornar guardiã e guardiã ao invés de caçadora.

Os templários são considerados pelo povo comum como os salvadores e guerreiros sagrados de Thedas, protegendo o mundo dos perigos da magia descontrolada. Como braço militar da Chantria, eles são recrutados principalmente por sua habilidade marcial e dedicação religiosa ao Criador. Dadas as difíceis escolhas que os templários devem fazer no curso de seu dever, eles devem ser inabalavelmente leais à Ordem e manter uma distância emocional da situação de seus protegidos. Diz-se que a obediência de um templário é mais importante para a Chantria do que seu centro moral.[2]

Envolvimento[]

Splr dao
Nós agora temos um cachorro e Alistair ainda é o mais burro do grupo - Morrigan
Este tópico contém spoilers de Dragon Age: Origins. Clique aqui para mostra-los.

Quando o Guardião chega ao Círculo em busca da ajuda dos magos, prometida aos Guardiões Cinzentos por antigos tratados, eles descobrem que a torre foi invadida por demônios e abominações, como resultado do que o Comandante-Cavaleiro Greagoir pediu o Direito de Anulação. Se o Guardião ajudar os templários a realizá-lo, então Greagoir comprometerá suas forças na luta contra os darkspawn.

Splr da2
"É apenas quando você cai que você descobre se pode voar" - Flemeth
Este tópico contém spoilers de Dragon Age II. Clique aqui para mostra-los.

Após a morte do Visconde Marlowe Dumar durante a Primeira Batalha de Kirkwall, a Comandante-Cavaleiro Meredith Stannard declara lei marcial e assume o controle da cidade. Enquanto ela bloqueia a eleição de um novo visconde e implementa restrições cada vez mais duras no Círculo, Meredith enfrenta divergências tanto da nobreza quanto dos magos e seus próprios templários. Em 9:37 Dragão, a Chantria de Kirkwall é destruída por magia e o Grã-Clériga Elthina é morta. Após a batalha em Kirkwall e as mortes do Primeiro Encantador Orsino e da Comandante-Cavaleiro Meredith, os Círculos começam a se rebelar por toda Thedas. Em 9:40, a Chantria está à beira do colapso e perdeu o controle dos templários. Um grupo ligado a Chantria que inclui alguns dos Investigadores da Verdade procurou encontrar uma solução pacífica para o crescente conflito entre os magos e os templários, tentando encontrar Herói/Heroína de Ferelden e o Campeão/Campeã de Kirkwall, por acreditar que eles poderiam ajudar a parar o guerra. No entanto, o grupo não teve sucesso em rastrear nenhum dos indivíduos.

Splr daa
"Eu perdi meu tempo limpando. Como uma serva" - Shale
Este tópico contém spoilers do livro Dragon Age: Asunder. Clique aqui para mostra-los.
BioWare canon

A trama segue o cânon da BioWare, isso significa que pode não seguir algumas escolhas do jogador nos jogos da franquia.

Os Investigadores da Verdade, sob o comando de Lorde Investigador Lambert, se separam da Chantria junto com os Comandantes-Cavaleiros. Em 9:40, Lambert escreve uma carta à Divina anulando o Acordo de Nevarra que originalmente estabeleceu os Investigadores como a mão direita da Chantria. Na carta, Lambert escreve: "Nem os Investigadores da Verdade nem a Ordem dos Templários reconhecem a autoridade da Chantria."[4] Imediatamente após enviar a carta para ser entregue à Divina, Lambert é assassinado por Cole em retribuição por ferir pessoas, deixando tanto os Investigadores quanto os Templários sem um líder. Esta separação da Chantria ocorreu aproximadamente ao mesmo tempo que o interrogatório de Varric Tethras por Cassandra Pentaghast em 9:40 Dragão. Alguns Investigadores permanecem leais à Divina, enquanto alguns Templários acreditam que a Ordem esqueceu seu propósito e, portanto, desertou para os magos rebeldes, Guardiões Cinzentos [6] ou a Inquisição.

Splr dai
"Não importa o que éramos antes, agora somos a Inquisição" - O Inquisidor
Este artigo contém spoilers de Dragon Age: Inquisition. Clique aqui para mostra-los.

Com a Guerra Magos-Templários causando estragos em Thedas, Samson é capaz de reunir alguns dos templários da Ordem dos Templários e se torna seu general. Samson começou a servir Corypheus e apresenta seus templários ao Lírio Vermelho que ele fornece. Samson inspira seus companheiros Templários Vermelhos a dominar o lírio vermelho com o único propósito de derrubar o Chantria que os deixou de lado e tornar o mundo um lugar livre da opressão do Chantria. [7]

Em 9:41 Dragão, após o desaparecimento do Lorde Investigador Lambert, os Investigadores da Verdade elegem Lucius Corin como seu novo líder. Posteriormente, os Templários concordam com uma cúpula de paz com os magos orquestrada por Divina Justinia V. No entanto, uma enorme explosão que destrói o Templo das Cinzas Sagradas e racha o Véu no sul de Thedas, destruindo qualquer esperança de paz. Na esteira do conclave fracassado, a ordem dos Templários continua a se fragmentar. Um grande grupo segue as ordens do Lord Seeker e se retira para Val Royeaux, enquanto alguns se juntam à recentemente reformada Inquisition. Outros insistem que o Lord Seeker falhou em conduzir a guerra adequadamente e se estabelecer nas Hinterlands no Ferelden ocidental, onde eles continuam a colidir com apóstata magos sem qualquer supervisão ou direção. Ainda outros Templários, como aqueles nos Círculos de Hossberg em Anderfels e Hasmal nas Marchas Livres se recusam a ser atraídos para a guerra e permanecem neutros para proteger magos que não desejam lutar.

Quando a Inquisição se dirige à Chantria em Val Royeaux, Lorde Investigador Lucius chega ladeado por um contingente de Templários. A Madre Reverenda Hevara assume que eles estão retornando à Chantria para pôr fim à Inquisição, mas é derrubada sem cerimônia por ordem de Lucius. Lucius declara Val Royeaux indigna da proteção da Ordem e leva seus Templários para Reduto de Therinfal. O Cavaleiro-Vigilante, que desconhecido para a maioria que sobreviveu ao conclave, é assassinado pelos Templários Vermelhos para evitar que ele potencialmente interfira em seus planos em Therinfal.

Se o Inquisidor recrutar os Templários:
Se o Inquisidor for se encontrar com os Templários, é revelado que um Demônio da Inveja tomou o lugar de Lucius e estava alimentando a maioria da Ordem com lírio vermelho para ajudar a preencher ainda mais as fileiras dos Templários Vermelhos: uma facção dissidente de Templários viciados em Lírio Vermelho.

Notas encontradas nos aposentos dos oficiais do Reduto de Therinfal provaram que os oficiais templários voluntariamente infectaram metade de seus cavaleiros com lírio vermelho antes mesmo de descobrirem que um demônio da Inveja estava se passando por Lucius Corin.[8] Esses oficiais parecem ser membros dos Templários Vermelhos do General Samson e foram cúmplices não apenas em corromper seus subordinados, mas também no assassinato de Cavaleiro-Vigilante Trentwatch.[9][10]

Se o Inquisidor preservar a Ordem:
Após a morte do demônio da Inveja, a Inquisição se alia aos Templários sobreviventes em Therinfal. Eles ajudam a fechar a Brecha.

Se o Inquisidor dissolver a Ordem:
Após a morte do demônio da Inveja, a Inquisição dissolve a Ordem dos Templários e recruta seus antigos membros para a Inquisição. Eles ajudam a fechar a Brecha.

Se o Inquisidor recrutar os Magos:
Os Templários do Reduto de Therinfal são totalmente corrompidos e transformados em Templários Vermelhos e servem como as principais tropas do Ancião em seu conflito com a Inquisição reformada. Os Templários em Hasmal pedem a ajuda da Inquisição para realocar os magos leais em seu círculo para a Inquisição por medo da população local atacá-los e depois se aliar com a Inquisição no conflito com Corypheus.[11]

Se Cassandra ou Vivienne se tornarem Divina:
A Ordem dos Templários é restabelecida sob a Divina Victoria.

Se Leliana se tornar Divina e os Templários forem recrutados como aliados plenos:
Quando a nova Divina dissolve o Círculo, os Templários restabelecem sua ordem com um novo mandato para servir ao povo de Thedas independentemente.

Se a Inquisição for dissolvida e Cullen parar de tomar lírio:
Se a Inquisição for dissolvida, Cullen cria um santuário para aqueles que desejam parar de usar lírio, e um hospício para aqueles cujas mentes estão muito cansadas do vício.

Se a Inquisição permanecer e Cullen parar de tomar lírio:
Se a Inquisição permanecer como uma força de manutenção da paz, Cullen promove o tratamento da Chantria aos templários que desejam cessar o uso do lírio, bem como aqueles cujas mentes estão muito cansadas do vício.


Recrutamento de templários[]

Templário lutando com um demonio

Templário lutando com um demônio.

Os Templários, na maioria das vezes, são recrutados ainda crianças ou adolescentes[12]. Eles passam por um processo rigoroso de recrutamento e treinamento, às vezes em refúgios monásticos segregados da sociedade cotidiana. Enquanto a maioria de seus membros são homens, existem algumas mulheres templárias, que escolheram servir ao Criador como um defensor da fé, em vez de um guia espiritual para a comunidade[13]. Os templários fazem votos sobre a cavalaria, mas estes não incluem um voto de castidade. Os templários são, no entanto, desencorajados de casar ou criar filhos, uma vez que é impraticável viver separado dos dependentes. Tais uniões são ocasionalmente permitidas, desde que o cônjuge dos templários tenha seus próprios meios de apoio, por exemplo, possuir terras ou um título[14]. A Chantria não permite relacionamentos amorosos entre magos e templários, porém ainda assim, ocorrem. Um templário se casando com outro templário ou mago dentro do mesmo Círculo seria considerado uma confraternização dentro das fileiras e raramente receberia permissão.

Os recrutas precisam de anos de educação e disciplina para usar suas habilidades templárias. Uma vez que eles se tornem proficientes em suas habilidades de templário, os recrutas então aprendem treinamento de espada e doutrina religiosa[15]. Antes de fazer seus votos, os recrutas passam por uma vigília[16]. Após a vigília, a vida do cavaleiro é muda. O templário recebe um kit - seu primeiro uso de lírio - e seu poder. A Ordem dos Templários determina que os templários não busquem riqueza ou reconhecimento. Suas vidas pertencem ao Criador e o caminho que escolheram.

Os recrutas não humanos, como os elfos e anões, não são impedidos de se juntar à Ordem, mas não são comuns em suas fileiras.[13][17][18][19]

Deveres de um templário[]

Last straw 2

Meredith Stannard, Cullen e um grupo de templários.

Os templários juram proteger o mundo dos perigos da magia, mas também protegem os magos do mundo exterior, um mundo que teme esses usuários mágicos por boas razões. Fora dos Círculos, os templários são responsáveis ​​por caçar maleficarum, apóstatas, abominações e demônios. Além disso, os templários são responsáveis ​​por procurar magos recém-descobertos ao seu poder para trazê-los ao Círculo. Inevitavelmente, a Ordem também deve perseguir magos que escapam do Círculo, mas normalmente podem rastrear os fugitivos a partir dos filactérios dos fugitivos.

Dentro dos Círculos, é seu dever vigiar os de sinais de fraqueza ou corrupção e, caso achem, agir sem hesitação pelo bem de todos. Um dos deveres mais importantes da Ordem ocorre durante a provação de um mago. Durante ela, um templário vigia o corpo do mago, pronto para matá-lo se uma possessão demoníaca ocorrer.

No evento extremo em que todo um Círculo dos Magos se corrompe, os templários tem o poder de requerer o Direito de Anulação à uma Grã-Clériga, que os autoriza a expurgar todos os magos daquele Círculo. Isso seria usado no caso em que o caos total fosse desencadeado pelos magos e não houvesse chance de que alguém no Círculo pudesse ser salvo[20]. O considerável poder que a Ordem tem sobre os magos ocasionalmente leva a acusações de tirania e abuso, já que o equilíbrio entre proteção e opressão dos magos é precário. No entanto, de acordo com a Chantria, esse é o preço que deve ser pago pela segurança que os templários oferecem[21].

Habilidades[]

Kit de Lírio de Cullen

Um kit de lírio de um templário.

Os templários são as ferramentas ideias para lidar com os magos, tendo sido treinados especificamente para combater e "negar" a magia[22]. Isso é feito por um método único de reforçar a realidade e a imutabilidade do mundo. Quando um mago - ou um demônio - procura trabalhar a magia, eles exploram o Imaterial para remodelar a realidade. A habilidade de um templário "estabelece o mundo real" e fecha o acesso de um mago ao Imaterial. Os efeitos mágicos se dissipam e o mago é incapaz de remodelar um mundo subitamente teimoso. Do ponto de vista de um mago, os templários reforçam uma realidade na qual feitiços não podem ser lançados. Os Investigadores da Verdade compartilham desses poderes, e alguns acreditam que suas habilidades são presentes do Criador[23].

As habilidades dos Templários para dissipar a magia e inibir o lançamento de feitiços, bem como desenvolver uma considerável imunidade à magia, vêm principalmente através da ingestão de lírio. Cole diz que os corpos dos templários se tornam incompletos e tentam se conectar a algo mais antigo e maior do que eles. Eles alcançam aquela "outra coisa" e a magia não tem espaço para entrar[24]. Cullen afirma que empunhar habilidades templárias é estranho no começo, mas eventualmente se torna instinto. Com o tempo, os templários podem usar suas habilidades como fariam com uma espada – sem pensar[25].

O lirío é preparado para os kits contendo ferramentas que são usadas pelos templários para preparar o caldo diário de lirío que consequentemente permite a negação da magia[22]. Se a ingestão de lírio for interrompida, os templários perdem suas habilidades[5]. Embora suas habilidades sejam usadas principalmente como uma ferramenta para lidar magia, alguns de seus talentos podem ter usos práticos para o dia-a-dia. Por exemplo, Holy Smite é um ataque que é descrito como o ataque do templário com "fogo de condenação" que causa dano de espírito mágico. Habilidades como Silêncio e Limpeza Duradoura podem impedir até mesmo oponentes normais de usar seus talentos por um curto período de tempo. A Ira dos Céus é uma habilidade que descrita como a conjuração de um "pilar de luz ofuscante"; e embora seja mais eficaz contra demônios, também pode ser usado para atordoar os sentidos de uma criatura.

Quando um templário usa seu poder, corre visivelmente por sua espada um poder branco que interrompe a mana[26]. Este poder também pode ser canalizado através de sua pele e usado, por exemplo, para ativar placas alojadas em portas especiais criadas por anões dentro do Círculo dos Magos, como a entrada do depósito de filactérios, que exigem a presença de um templário e um mago trabalhando juntos para abri-la[27].

Os templários também são treinados especificamente para lutar contra demônios[28].

Mesmo sem suas habilidades, os templários estão entre os melhores guerreiros de Thedas. Além do treinamento de combate, eles também aprendem o Cântico da Luz, história, e como melhorar seu foco mental[29].

Vício em Lírio[]

"Os magos tornaram seu sofrimento conhecido. Os templários nunca o fizeram."

Cassandra

"Dentro de você, há algo que você não sabe que possui. Tornar-se um templário o tornará profundamente consciente. Você se sentirá empoderado. É alegre. Mas uma vez que você se acostume, esse algo vai ficar com fome. Você nunca sentiu isso. A Ordem luta com irmandade."

Ser

Todos os templários usam lírio, que é usado para habilitar suas habilidades anti-magia e não é oficialmente usado como mecanismo de controle pela Chantria. Lírio é uma substância altamente viciante. A falta de lírio faz com que o templário comece a sentir sintomas de abstinência dentro de uma semana e perca o contato com a realidade e sofra delírios dentro de 1-2 meses. Os efeitos do vício em lírio incluem paranoia, obsessão e demência. Os sintomas de abstinência de lírio incluem fadiga,[30] esquecimento, uma sede insaciável, possivelmente dores de cabeça ocasionais,[31] e mãos frias.[32] Com o tempo, os templários ficam desorientados, incapazes de distinguir a memória do presente, ou o sonho da vigília. Eles frequentemente se tornam paranOicos, pois suas piores lembranças e pesadelos assombram suas horas de vigília.

Os templários também perdem suas memórias devido à ingestão prolongada de lírio. No início são poucos esquecimentos - um item ou palavras mal colocadas em uma música - mas com o tempo, o quadro se agrava. Aqueles que foram cortados do lírio e que não puderam suportar o sofrimento enlouquecem ou morrem.[33] Os templários começam a receber lírio assim que fazem seus votos. A ingestão também parece mudar o cheiro do receptor depois de um tempo, descrito como algo semelhante a ozônio queimado.[34]

Embora incomuns, os anões iniciados também não estão imunes aos riscos. A exposição ao lírio não exclui os perigos da ingestão. Isso também inclui os anões recrutados para a ordem, ou pelo menos para o treinamento. [35]

Confirma-se que o lírio tem benefícios efetivos para os templários, pois constrói uma resistência à magia neles ao longo do tempo que é necessária para suas habilidades, como poder neutralizar completamente as habilidades de um mago. Também coloca os templários em um estado de ousadia e empoderamento enquanto estão sob a influência[7] . Algumas pessoas pensam que os templários estão condicionados a serem dependentes desse mineral por seus atributos e que a Chantria sabe de sua dependência. Tanto Alistair quanto Evangeline dizem que "a Capela controla o suprimento de lírio, e assim eles controlam os templários."[36]

Quando os Templários se aposentam honrosamente, eles recebem uma pequena quantia de lírio para evitar a fome pela substância, mas o desejo atinge alguns templários com muito mais força do que outros. Além disso, aqueles expulsos da ordem não têm tal provisão feita para eles.[37]

Hierarquia[]

A hierarquia dos Templários segue a seguinte ordem:

  • Cavaleiro-Vigilante – o líder da Ordem, que governa a partir do Pináculo Branco em Val Royeaux
  • Cavaleiro-Divino – uma divisão de templários que servem à Divina diretamente e gerenciam as operações diárias da Ordem dos Templários
  • Comandante-Cavaleiro – líder de um ramo principal, como um Círculo dos Magos
  • Cavaleiro-Capitão – segundo em comando dos Comandantes-Cavaleiros, com a capacidade de liberá-los do comando se ultrapassarem seus limites
  • Tenente Cavaleiro
  • Cavaleiro-Cabo
  • Cavaleiro Templário – mais comumente referido como Templário, título base para aqueles que fizeram seus votos
  • Templar-Recruit – um novo iniciado na ordem

A Ordem é composta de numerosos ramos, cada um deles centrado em torno de uma comunidade ou região específica que eles são designados para defender e monitorar. Os templários podem ser designados para os Círculos dos Magos, mas também para Chantrias individuais. Cada ramo principal da organização é liderado por um Comandante-Cavaleiro.Em Thedas há pelo menos quinze Comandantes-Cavaleiros [4],que por sua vez respondem à chefe da Chefe local, freqüentemente uma Grã-Clériga, dependendo da região em questão[38]. O tamanho e a força de cada ramo também difere, dependendo da comunidade a que servem ou do seu mandato específico. Por exemplo, os templários presentes em Lothering são pouco em númerosos e podem, de fato, ser uma unidade menor dentro de uma seção maior. Já os templários designados para vigiar os Círculos dos Magos de Kinloch Hold, em Ferelden, e The Gallows, em Kirkwall, são muito mais poderosos e, no caso de Kirkwall, talvez até mais poderosos do que o governo civil na cidade.

A Ordem em si é governada do Pináculo Branco em Val Royeaux por um Cavaleiro-Vigilante[3]. No entanto, existem outras fontes que sugerem que a Ordem é realmente liderada por uma série de Cavaleiros-Divinos, uma divisão dentro da Ordem que serve diretamente sob a própria Divina e age como seus executores e guarda-costas (por exemplo, no papel de Mão-Direita e Esquerda da Divina)[5][39][40]. Além de fazer as regras, esses cavaleiros supervisionam as operações do dia-a-dia. Acima da Ordem dos Templários, mas separados estão os Investigadores da Verdade que servem como “observadores dos vigias”, prestando contas dos templários.

Heráldica[]

A heráldica dos Templários é uma representação estilizada de uma espada flamejante. As chamas representam purificação, assim como Andraste foi purificada pela chama em seu martírio no auge da primeira Marcha Exaltada.[41] A espada é um emblema de misericórdia no simbolismo da Chantria porque Hessarian atravessou sua espada em Andraste para salvá-la de uma lenta e morte dolorosa.[42] A espada também faz parte da constelação Visus; diz-se que a estrela que marca a ponta de sua lâmina só apareceu no céu noturno após a morte de Andraste. A Inquisição primitiva tomou Visus como seu símbolo, sua divisão, a Ordem dos Templários, tomou a espada, enquanto os Investigadores da Verdade mantiveram o olho. A constelação Judex tem um significado moderno em seu uso como símbolo pela Ordem dos Templários, o que causou a antiga interpretação da constelação (a espada virada para baixo indicando um veredicto de culpado - execução mais provável ) para ser desaprovado nos círculos acadêmicos hoje.

O design exato varia. Há pelo menos seis variações:

Heraldica Templarios
  • A espada apontando para cima com duas pequenas chamas de cada lado.
  • Apontando para baixo com quatro chamas maiores.
  • Apontando para baixo com três chamas de cada lado.
  • A espada apontando para baixo com quatro chamas de cada lado. As chamas terminam a cerca de dois terços do caminho.
  • Igual ao anterior, mas as chamas são maiores perto do punho.
  • Com quatro chamas de cada lado percorrendo o comprimento da espada.

Membros notáveis[]

  • Alistair - ex-Recruta templário no Monastério de Bournshire, em Ferelden (9:20 a 9:29 Dragão); foi recrutado para os Guardiões Cinzentos por Duncan.
  • Cullen Rutherford - ex-Templário de Kinloch Hold (9:31); Cavaleiro-Capitão do Círculo de Kirkwall, The Gallows (9:31 - 9:37); Comandante-Cavaleiro do Círculo de Kirkwall (9:37 - 9:40) (condicional); . Atualmente está com a Inquisição (9:41 - 9:44).
  • Carver Hawke - Cavaleiro-Cabo da Ordem em Kirkwall (condicional)[43]
  • Belinda Darrow – ex-Templária da Ordem de Starkhaven; atualmente está com a Inquisição (9:41)
  • Cairn – Templário da Ordem de Kirkwall Kirkwall (9:31-9:34)[44]
  • Delrin Barris – Templário no Reduto de Therinfal; potencialmente promovido a Comandante-Cavaleiro pelo Inquisidor (9:41)[45]
  • Denam – Cavaleiro-Capitão no Reduto de Therinfal (9:41); atualmente com os Templários Vermelhos (9:41)[45][46]
  • Evangeline de Brassard – Cavaleiro-Capitão no Pináculo Branco (?-9:40); Cavaleira-Comandante a partir de 9:41[47]
  • Greagoir – Comandante-Cavaleiro em Kinloch Hold (9:07-9:32)[5]
  • Lambert van Reeves – ex-Capitão Cavaleiro no Círculo de Ghislain (9:17-9:20); Investigador (9:21-9:36), Lorde Investigador (9:37-9:40)
  • Meredith Stannard – Cavaleiro-Comandante na Forca (9:21-9:37)
  • Raleigh Samson – ex-Cavaleiro Templário de Kirkwall (9:37); atualmente com os Templários Vermelhos (9:41)
  • Reimas – ex-Cavaleiro Templário de Orlais; atualmente com os Guardiões Cinzentos (9:41)[48]
  • Trentwatch – Cavaleiro-Vigilante, líder da Ordem dos Templários no início da Guerra Magos-Templários (9:41)[45][49]
  • Wesley Vallen – Cavaleiro Templário da Ordem de Ferelden (9:30)

Trívia[]

  • Apesar de ser parte da Capela, há implicações em Dragon Age: Asunder que a Ordem dos Templários é autônoma até certo ponto.
  • A história acerca do lírio e as habilidades dos templários em Dragon Age: Origins, particularmente no que diz respeito a Alistair, tem explicações mistas tanto no universo quanto em entrevistas com escritores:
    • Dentro do jogo, Alistair afirma que os templários não precisam tomar lírio para aprender os talentos dos templários, apenas que isso torna os talentos dos templários mais eficazes. Ele nega ser viciado em lírio e explica que o lírio só é dado aos templários depois de terem feito seus votos. Como ele não havia feito seus votos quando recrutado por Duncan, isso sugere fortemente que Alistair nunca recebeu lírio, e sua especialização vem apenas de seu treinamento.
    • No entanto, David Gaider afirmou mais tarde em uma entrevista que os templários podem usar suas habilidades por um "longo tempo" depois de parar de tomar lírio, citando Alistair como exemplo, o que implicava que Alistair havia tomado lírio em algum momento.[5]
    • Na mesma entrevista, Gaider também admite que "parte disso eram apenas os requisitos de jogabilidade, para nós termos uma especialização também, então parte dessa história não combina muito com a jogabilidade."
    • Alistair ainda tem possui e utiliza de suas habilidades de templário durante os eventos de Dragon Age: Those Who Speak, que acontece em algum momento depois das 9:34 Dragon - pelo menos cinco anos depois que Alistair deixou a Ordem.
    • Nunca houve nenhuma menção no universo de que Alistair tenha ingerido lírio, ou sofrido os efeitos da retirada de lírio.
    • Independentemente de Alistair nunca ter tomado lírio, ou apenas ter tomado uma primeira infusão que não resultou em vício ou abstinência e permitiu que ele usasse suas habilidades por anos depois, ele é o único templário conhecido que não precisa estar ativamente tomando lírio para usar suas habilidades anti-magia.
  • Algumas pessoas dizem que abraçar a religião ou ter alguma forma de comunidade de apoio pode ser um mecanismo eficaz de enfrentamento para os templários e geralmente são encorajados. A fé geralmente é como os templários suportam suas vidas difíceis, mas como cada templário lida com isso é assunto de cada templário individual.[50]

Galeria[]

Referências[]

  1. Investigue o Homem Acusado de Abominação
  2. 2,0 2,1 Entrada de códice: Templários
  3. 3,0 3,1 "On Templars, Raiders, City Guards and The Coterie". Official BioWare blog. Retrieved July 4, 2012.
  4. 4,0 4,1 4,2 Dragon Age: Asunder, Epílogo.
  5. 5,0 5,1 5,2 5,3 5,4 Thedas UK (January 14, 2012). "David Gaider Interview" Retrieved July 4, 2012.
  6. Dragon Age: Last Flight
  7. 7,0 7,1 Conto: Papel e Aço
  8. Nota: Manifesto do Lírio
  9. Nota: Notas e Cartas de Therinfal
  10. De acordo com o diálogo de Cassandra Pentaghast e Cullen Rutherford no final de Campeões dos Justos se o Inquisidor é capaz de obter provas dos Quartos dos Oficiais
  11. Responda a um Pedido de Hasmal
  12. Por exmplo Alistair, Cullen Rutherford and Delrin Barris.
  13. 13,0 13,1 Dragon Age: The World of Thedas, vol. 1, p. 119
  14. David Gaider. ""Templars and Chastity"" . BioWare Social Network.
  15. De acordo com Alistair em Dragon Age: Origins
  16. De acordo com Cullen em Dragon Age II
  17. David Gaider. https://web.archive.org/web/20151104223745/https://twitter.com/davidgaider/status/154836608330383360 . Twitter.
  18. Mike Laidlaw. https://twitter.com/Mike_Laidlaw/status/291945667910303744 . Twitter.
  19. Dragon Age: Last Flight. Laros é um ex-templário anão
  20. Entrada de códice: O Direito de Anulação
  21. "On Templars, Raiders, City Guards and The Coterie". Official BioWare blog. Retrieved July 4, 2012.
  22. 22,0 22,1 De acordo com um diálogo com Ser.
  23. De acordo com uma conversa entre Cassandra e Solas.
  24. Primeira conversa com Cole após seu recrutamento.
  25. Cullen sobre a especialização Templário em Dragon Age: Inquisition.
  26. Dragon Age: Asunder, p. 251
  27. Dragon Age: Asunder, p. 76
  28. Entrada de códice: Demônio do Orgulho
  29. Conversa com Cullen em Dragon Age: Inquisition.
  30. Cullen Rutherford diz que está menos exausto ao tomar lírio regularmente e que os meses em que ele se absteve de beber lírio foram "drenantes" - como mostrado em Perseverança
  31. Entrada de códice: A Que Custo
  32. Entrada de códice: Confissões de um Viciado em Lírio
  33. De acordo com Dragon Age: Inquisition.
  34. De acordo com o diálogo, quando um anão Inquisidor procura aprender a especialização.
  35. De acordo com Ser um diálogo com um Inquisidor anão que busca aprender a especialização.
  36. Dragon Age: Asunder, p. 267
  37. Dragon Age: The World of Thedas, vol. 2, p. 109
  38. Entrada de códice: Grã-Clériga Elthina
  39. Armadura do Cavaleiro-Divino
  40. De acordo com um diálogo com Cassandra Pentaghast
  41. "Dragon Age The Templars Coaster". Armas épicas. Recuperado em 20 de agosto de 2011.
  42. Dragon Age II: The Complete Official Guide, p. 256
  43. The Deep Roads Expedition
  44. Dragon Age: Redemption
  45. 45,0 45,1 45,2 Promovendo Barris
  46. Nota: Manifesto do Lírio
  47. Veja Localize Rhys e Evangeline.
  48. Ela e seis outros Templários se juntaram aos Guardiões para evitar participar da Guerra Magos-Templários; Dragon Age: Last Flight, p. 164.
  49. Nota: Notas e Cartas de Therinfal
  50. Ser (personagem)/Diálogo
Advertisement